terça-feira, 22 de dezembro de 2009


Taraxacum (dente-de-leão)

Esta semana, em conversa com amigos criadores lembrei-me dos tempos de criança. Estávamos falando de uma planta muito interessante, o dente de leão.
Devido as suas sementes possuírem um sistema de dispersão pelo vento (dispersão eólica ), quem já não assoprou para ver suas sementes voarem, infelizmente as crianças de hoje estão perdendo o contato com essas maravilhas da natureza.
Esta planta, além de muito bonita têm propriedades importantes que podemos usar em benefício de nossas aves.
Nome científico: Taraxacum officinale L, Taraxacum officinale W.
Nomes populares: Taraxaco, salada-de-toupeira, alface-de-cão, amor-dos-homens.
Característcias: Raíz mestra grossa, com exterior marrom e interior branco leitoso. Caule avermelhado oco e liso, ergue-se no meio de uma roseta de folhas junto ao solo. Folhas verde escuras, bem denteadas nos bordos, triangulares ou ovaladas; as flores são amarelas e se transfromam em pompons com sementes aéreas que as crianças gostam de soprar...
Origem: Até hoje se discute se o dente-de-leão é nativo das américas ou aclimatada. A planta é encontrada e consumida em quase todo mundo (já a utilziavam os europeus, árabes, ingleses, americanos, chineses).
Parte utilizada: Raízes, flores e folhas.
Cultivo: Planta versátil, multiplica-se facilmente através de sementes, cresce tanto em solos ricos e adubados, como nas festas dos calçamentos e ruas.
Utilização:
Medicinal: Rico em vitaminas e sais minerais, o dente de leão tem propriedades diuréticas; é tônico, digestivo, estimulante do fígado e das glândulas linfáticas. Estimula os rins, ajuda eliminar uréia, colesterol e ácido úrico. Alivia anemia, insuficiência hepática, cistite, reumatismo, gota, etc. Combate gases e prisão de ventre.
Preparo das folhas: infusão - Verter um litro de água fervente sobre 2 col. De sopa de folhas picadas. Descansar tampado por 7 minutos. 3 xícaras/dia.
Preparo das raízes: colocar uma col. De sopa de raiz picada e deixar fervendo junto com a água por 10 minutos.
Caseiro (country) - Uso como cama para animais, forrando as instalações de coelhos, carneiros e vacas, ajuda as crias, pois aumenta o leite das mães (folhas possuem 2,45% de proteínas).
Mágico: Plantada no norte do jardim, faz com que os ventos sejam sempre favoráveis. Para adquirir poderes psíquicos, tomar o café feito com as raízes.
Cosmética: Bom para celulite, ajuda emagrecer purificando o sangue. Chá forte clareia sardas. Para acne também é utilizado, compressas à noite e pela manhã ajudam Ter a pela limpa e sedosa.
Alimentícia consumido sob diversas formas: Folhas com salada (amarga), ou cozida com espinafre, a raiz é torrada como café; folhas podem ser ainda usadas como suco (fortifica os nervos do cérebro e olhos); na época colonial era apreciado seu vinho. Receita de vinho - 7 litros de água, 7 litros de flores, 2,5 laranjas cortadas em 4,1 limão cortado em 4,1 pacote de levedura seca, raiz gengibre ralada, 1,2 kg de açúcar. Modo de fazer: colha as flores em dia de sol, deixe os insetos saírem espalhando em folhas de jornal; coloque em recipiente de cerâmica, despeje água, cubra e deixe 24 horas. Coe para caldeirão esmaltado, adicione laranja, limão e gengibre. Ferva por 30 minutos, coe e junte o açúcar. Quando estiver morno, junte a levedura, previamente dissolvidaem 2 col de sopa do líquido. Cubra e deixe fermentar mais ou menos 7 dias. Despeje em garrafões e deixe em repouso por um mês. Aí decantá-lo para garrafas menores. Estará bom após 5 meses.
Contra indicação: evitar o uso nos casos de irritação de estômago ou intestino.
Fonte:
http://www.cotianet.com.br/jornalatuante/mat037.htm

FRANCISCO PERUZZO
BIÓLOGO
CENTRO PAULISTA DE CRIADORES DE CANÁRIOS FRISADOS – CF
SÓCIO Nº 104

domingo, 22 de novembro de 2009

PLANO DE ALIMENTAÇÃO ANUAL

Ao passar dos anos acabamos esquecendo que muitas pessoas sempre estão iniciando uma criação de canários e estas pessoas necessitam de auxílio básico principalmente na alimentação, pensando nisso resolvi escrever um pouco sobre o meu manejo, não podemos ainda esquecer que cada criadouro ou canário têm hábitos diferentes então nem tudo que dá certo em meu criadouro dará certo em outros lugares. Vale lembrar que devemos partir de uma proposta e aos poucos irmos adaptando as necessidades do seu criadouro ou de seus canários.
ALIMENTAÇÃO DIÁRIA:
O principal é a mistura de sementes, isso nunca pode faltar aos canários, existem várias fórmulas de acordo com a época do ano, porém eu mantenho sempre a mesma que são alpiste (70%), colza (10%), aveia (5%), níger (10%) ,nabão ou linhaça (5%).
A farinhada eu ofereço a cada dois dias, pois como é um complemento não deve ser dada em excesso, alguns canários por serem mais atrativas só querem comer a farinhada. Existem várias marcas no mercado brasileiro eu forneço a CC 2030 PREMIUM, foi a que melhor se adaptou os meus canários. Muitos criadores ainda fazem suas próprias receitas, mas considero que hoje em dia não compensa devido ao número de produtos no mercado. Acrescento ainda na farinhada 03g de ORGANEW, é um prébiotico que vai auxiliar na manutenção da flora intestinal das aves.
A água deve ser oferecida diariamente ou trocada a cada dois dias no máximo, costumo adicionar uma semana por mês própolis, são 50 gotas por litro d´água, ajuda principalmente no aumento da imunidade dos canários.
As verduras são importantes, porém já tive muitos problemas relacionados a agrotóxicos e bactérias, por isso resolvi não fornecer mais.
FASES DO ANO:
JANEIRO / FEVEREIRO / MARÇO
Esta época ocorre a muda de penas, devemos aumentar a quantidade de proteínas, com maior teor de gorduras, pois são importantes na formação das novas penas e ainda fornecer um complemento que contenha BIOTINA ou Vitamina H.
Colocar banheira de água, pois o banho em dias quentes ajuda na muda das penas além de refrescar os canários. Não deixar as aves em lugares que tenham correntes de ar.
Começar a diminuir a intensidade de luz que foi feita de Julho a Dezembro para época de criação.
ABRIL / MAIO
Neste período devemos voltar a fornecer a alimentação normal aos canários, época para repouso, muitos machos já soltaram completamente o canto, é a época de começar a separar os canários que irão para concurso, iniciar os contatos para vendas, escolher futuras matrizes para o plantel. Se possível separar os machos em gaiolas individuais para que não briguem e estraguem suas penas, principalmente os de topetes.
JUNHO / JULHO / AGOSTO
Esta época irá começar os torneios nos clubes, além disso, já devemos estar preparando nossas matrizes para o acasalamento, por isso começo a aplicar as vacinas: BAYCOX (são duas doses respeitando o intervalo de 15 dias entre uma e outra); IVOMEC POUR – ON (são duas doses respeitando o intervalo de 15 dias entre uma e outra);
VERMÍFOGO (estou fornecendo avitrin vermífugo, segundo a bula são 03 dias consecutivos, obtive excelentes resultados com ele).
Já estou com os casais definidos, porém os machos estão em gaiolas individuais e as fêmeas ainda nas voadeiras, no mês de Agosto começo a colocar as fêmeas com seus respectivos machos, porém ainda com a grade de separação.
A partir de Julho começo a aumentar o período de iluminação do criadouro com lâmpadas fluorescentes, um aumento gradual que no final passará a ter 14 horas de iluminação, com isso os canários terão mais tempo para se acasalar e alimentar os filhotes.
SETEMBRO / OUTUBRO / NOVEMBRO / DEZEMBRO
Começa o período de reprodução dos canários, nesta época principalmente quando começam a nascer os filhotes não poderá faltar comida, farinhada e água.
Com o nascimento dos filhotes, auxilio na alimentação com a papinha CC ALBIUN, os filhotes se desenvolvem mais rápidos. Forneço ainda uma quantidade maior de aveia para os pais fornecerem aos filhotes.
Em Dezembro, após a separação de todos os filhotes faço mais uma rodada de VERMÍFOGO E IVOMEC POUR – ON para todos.
Espero que com isto tenha ajudado um pouco aqueles que iniciam esta arte e enfrentam muitas dificuldades no manejo diário dos pássaros, nunca esquecendo que este plano não é fechado pode haver variações durante o ano e de criadouro para criadouro.

FRANCISCO PERUZZO
BIÓLOGO
CENTRO PAULISTA DE CRIADORES DE CANÁRIOS FRISADOS – CF
SÓCIO Nº 104

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

PROBLEMAS AO ANILHAR OS FILHOTES


Se observarmos os ninhos após o nascimento dos filhotes veremos que ele está sempre limpo, mas onde vai parar as fezes dos filhotes? Até dez dias de vida aproximadamente, as fêmeas, e alguns machos, é que fazem esta limpeza, retirando e as vezes até comendo tudo que os filhotes produzem.
Por terem este habito poderemos enfrentar um problema na época em que formos anilhar os filhotes, que ocorre entre o 5º e 8º dia de vida, dependendo do desenvolvimento do canário.
Na prática o que acontece, a fêmea enxerga a anilha como um corpo estranho e tenta jogar para fora do ninho, quando a anilha solta do pé do filhote, ela simplesmente a joga, mas às vezes isso não acontece e a fêmea arremessa junto coma anilha o filhote, isso pode causar algum trauma, como quebrar uma perna ou asa ou ainda pode ocasionar a morte, tanto pela queda quanto por hipotermia.
Algumas dicas são importantes na hora de anilhar o filhote, aqui em meu criadouro costumo colocar as anilhas no período da tarde, já perto da hora de fechar o criadouro, assim logo escurece e a fêmea não repara na anilha, podemos também enrolar na anilha um esparadrapo cor da pele, isso confundirá a fêmea e assim não tentará arrancar o anel do filhote.
Por último uma técnica que até este ano nunca havia usado, porém por motivos citados fui obrigado a usar, consiste em amarrar uma anilha na lateral do ninho, com isso a fêmea tentará joga-lo para fora e não conseguirá assim com o passar do dia ela se acostumará com a anilha e não jogará mais o filhote para fora do ninho.
Portanto meus amigos o sucesso da criação de canários está principalmente na observação diária dos casais e filhotes.

FRANCISCO PERUZZO
BIÓLOGO
CENTRO PAULISTA DE CRIADORES DE CANÁRIOS FRISADOS – CF
SÓCIO Nº 104

A RAZÃO DE SE ANILHAR OS CANÁRIOS


Muitos perguntam da verdadeira importância em se anilhar os canários, para algumas pessoas é uma forma de maus tratos. Realmente se anilharmos uma ave com a anilha inferior a sua medida poderemos machucar e às vezes até causar uma lesão grave que pode decepar a pata da ave.
Mas quando ela é usada de forma correta, é a melhor ferramenta para o criador de aves, pois ali vão todas as informações necessárias para conhecermos um pouco a respeito da ave e de seu criador.
Aqui vamos falar mais especificamente das anilhas fornecidas pela F.O.B. (Federação Ornitológica Brasileira) que é o órgão oficial que rege as normas sobre a canaricultura brasileira, pois também existem as anilhas fornecidas pelo IBAMA.
As anilhas são fornecidas ao criador, após este se associar a um determinado clube. O tamanho das anilhas é dividido de acordo com a raça do canário, que vão desde 2,7 mm (raça espanhola, fife fancy e hoso japonês) até os grandalhões frisados, norwichs e lancashires com 3,5 mm.
Mas o que vem escrito de tão importante nas anilhas ?
Ali encontramos a sigla da FOB, o clube do criador, número da ave onde o criador tem todas as informações anotadas sobre a árvore genealógica daquele filhote e o ano de nascimento.
Outro fator importante é que a FOB está utilizando também um código de cores nas anilhas, cada ano corresponde a uma determinada cor, já temos as cores PRATA (ano 07), AZUL (ano 08) e Lilás (ano 09), com isso só de olharmos a anilha do canário já saberemos sua idade.
Para exemplificar melhor vou usar um canário de meu plantel:
Francisco Peruzzo – Criadouro Peruzzo
Anilha – FOB – CF – 104 – 001 – 09
- FOB = sigla da federação.
- CF = Centro Paulista de Criadores de Canários Frisados.
- 104 = número do sócio no clube.
- 001 = número de registro do canário.
- 09 = ano de nascimento.
Portanto ao adquirimos um canário, esse é um dos primeiros fatores que devemos observar, pois facilmente conseguiremos saber a idade da ave, por isso meu conselho é: - só compre um canário se ele tiver a anilha de um criador registrado em um clube filiado a FOB.
Fonte do Desenho:
http://www.fob.org.br/html2/como_ler_a_identificacao_de_uma_anilha.htm

FRANCISCO PERUZZO
BIÓLOGO
CENTRO PAULISTA DE CRIADORES DE CANÁRIOS FRISADOS – CF
SÓCIO Nº 104

sábado, 31 de outubro de 2009

DOENÇA DA PINTA PRETA


DOENÇA DA PINTA PRETA
Infelizmente a época de criação não nos trás só alegrias, esta semana me deparei com um problema que com certeza ocorre em vários criadouros do Brasil e do Mundo, a morte prematura de um filhote.
Participo de vários fóruns de discussão, um deles é o Fórum Canaricultura Tuga, de Portugal, levantei o questionamento sobre qual seria a causa morte do filhote. Este filhote foi o primeiro dos três que nasceram e apenas com dois dias de vida morreu, seus irmãos de ninho continuam bem até hoje, já com quase dez dias. O que mais me chamou a atenção foram as duas manchas que pude observar no abdômen do filhote.
Como não pude mandar fazer uma autopsia no filhote, ficaram as dúvidas quanto à verdadeira causa da morte, eu mencionei que poderia ser o mau da pinta preta e também recebi mensagens dizendo que poderia ser uma infecção intestinal seguida de hemorragia.
Vou transcrever abaixo o que seria a Pinta Preta ou a Proventriculite e com isso os amigos podem também fazer suas análises e tirar suas conclusões, a matéria foi retirada do site Criadouro Kakapo escrito por José Luiz Amzalak, revista ABC 2006.
... A Proventriculite é uma inflamação do proventrículo causada por bactérias e que pode levar a morte dos filhotes, normalmente, até o sétimo dia. Por este fato, os criadores na Itália costumam chama-la de “crise do sétimo dia”. O exame de filhotes mortos facilita a descoberta do mal: “No proventrículo cheio de alimentos não digeridos, na mucosa interna do órgão, uma secreção esbranquiçada que normalmente se encontra contaminada por infecções secundárias bacterianas”, como observa o médico veterinário brasileiro Dr. Francis Magno Flosi.
A cor escurecida e inchada na altura do proventrículo resulta exatamente do somatório da inflamação do proventrículo e do acumulo de alimentos não digeridos. Como os alimentos não são processados, o filhote fica inicialmente debilitado e, aos poucos, a fêmea deixa de alimentá-lo. A morte não decorre propriamente da inflamação do órgão, mas das doenças oportunistas, como a coccidiose, salmonelose e a colibacilose.
A doença em si nem sempre apresenta sintomas exteriores nos adultos, o que não significa que em caso agudo não chegue a matar. Uma boa parte das aves adultas é, hoje, portadora do mal, principalmente as fêmeas, que transmitem a doença através da postura dos ovos ou ao alimentar os filhotes.
Em termos técnicos o “pontinho negro” nada mais é do que uma gastrite crônica micótica, também conhecida como micose 80, causada por uma megabactéria ainda pouco conhecida dos especialistas em aves e cuja cura está longe de ser descoberta. A origem da moléstia é causada pela microplasmose (Mycoplasma, bactéria gran negativa), que diminui a resistência da ave e abre caminho para a entrada no organismo da micose 80. Esta doença foi descoberta inicialmente em papagaios criados em zoológicos dos EUA. Infelizmente, a importação legal e ilegal de aves disseminou o mal por todos os países. Hoje, nenhum criador está livre dessa moléstia, mesmo que não tenha aves importadas em seu plantel...
Você pode ler o artigo na integra no endereço:
http://www.criadourokakapo.com/index.php?secao=artigocor000276
FRANCISCO PERUZZO
BIÓLOGO
CENTRO PAULISTA DE CRIADORES DE CANÁRIOS FRISADOS – CF
SÓCIO Nº 104

domingo, 6 de setembro de 2009

ESTES SÃO OS PRIMEIROS FILHOTES A NASCEREM NO CRIADOURO, SÃO FILHOTES DE CANÁRIOS GLOSTER, ESPERO QUE APÓS ESTES VENHAM MUITOS OUTROS.

PRIMEIRA RODADA DE POSTURA DAS CANÁRIAS, INFELIZMENTE NEM TODOS ESTÃO GALADOS, A FALTA DE MATURIDADE DE ALGUNS MACHOS E ATÉ MESMO AS FÊMEAS QUE NÃO ACEITAM AINDA A COMPANHIA DO MACHO, PORÉM A PARTIR DE SETEMBRO COM A MELHORA DO TEMPO, ESQUENTANDO, E A AFINIDADE ENTRE OS CASAIS TUDO ISSO MELHORA.


segunda-feira, 3 de agosto de 2009

LAUDO DO EXAME DE FEZES DOS CANÁRIOS

*Paciente: Canário - 35 - Francisco Miguel* *3/8/2009 18:19:00*
*ANCLIVET - Análises Clínicas Veterinárias***
Endereço: Av. Osasco, 984 Praia Grande - SP
Fone: 13 3494-3883 Fax: 13 3494-3883 Data: 01/08/2009 Protocolo: 549903

Paciente: Canário - 35 - Francisco Miguel Sexo: F Idade: 1
Médico:
Convênio: A vista

***Coproparasitológico 2 Amostras***
*Data e hora da coleta: ***1/8/2009 12:44:03
*Material: ***Fezes
*Método: ***

1ª AMOSTRA
Nematódeos: Negativo
Protozoários: Negativo
Cor: Esverdeada
Odor: Normal
Consistência: Normal
OBSERVAÇÕES:

2ª AMOSTRA
Nematódeos: Negativo
Protozoários: Negativo
Cor: Esverdeada
Odor: Normal
Consistência: Normal
OBSERVAÇÕES:

Laudo assinado eletronicamente por Dra. Paula Nunes Rosato - CRMV - 19.387

ENTENDENDO O RESULTADO DO EXAME
Nematoda
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Os nematódeos ou nemátodos (Nemathelminthes) (também chamados de vermes cilíndricos) são considerados o grupo de metazoários mais abundante na biosfera, com estimativa de constituírem até 80% de todos os metazoários (Bongers, 1988 apud Boucher & Lambshead, 1995), com mais de 20.000 espécies já descritas, de um número estimado em mais de 1 milhão de espécies atuais (Briggs, 1991), que incluem muitas formas parasitas de plantas e animais. Apenas os Arthropoda apresentam maior diversidade. O nome vem da palavra grega nema, que significa fio.
Ecologicamente são muito bem-sucedidos, sendo tal fato demonstrado pela alta diversidade de espécies. Encontram-se em todos os habitats, terrestres, marinhos e de água doce e chegam a ser mais numerosos que os outros animais, tanto em número de espécies, como de indivíduos. Algumas espécies são microscópicas.

Protozoário
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
O Reino Protista (antigamente chamado de "protozoa", vem do grego proto, primeiro + zoon, animal), conhecidos popularmente como protozoários, agrupa todos os organismos eucariontes (com núcleo celular organizado), unicelulares, principalmente heterotróficos (que não realizam a fotossíntese), mas incluindo alguns autotróficos e com locomoção própria, quer utilizando cílios ou flagelos, quer com movimento amebóide (mudando a forma do corpo pela emissão de pseudópodes, do grego, pseudo = falso e podo = pés).
São encontrados em lugares úmidos, desde água doce, salobra ou salgada, no solo ou em matéria orgânica em decomposição, e até no interior do corpo de outros protistas, plantas ou animais.

Site legal para consulta:
http://www.avedomestica.com/index.php?option=com_content&task=view&id=1825&Itemid=163

quinta-feira, 11 de junho de 2009

RESULTADOS CONCURSO CENTRO PAULISTA DE CRIADORES DE CANÁRIOS FRISADOS

FOTOS DE ALGUNS CANÁRIOS CLASSIFICADOS




Na classificação geral dos criadores de gloster, num total de 12 criadores fiquei em 3º lugar.
Na classificação geral dos criadores do clube, num total de 27 criadores fiquei em 13º lugar.
Classificação dos canários:
Fiorino - 5º lugar
Fife - 2º e 3º lugar
Gloster
quarteto e um canário - 1º lugar
1 canário 2º lugar
2 canários 3º lugar
6 canários 4º lugar
3 canários 5º lugar
Total de 20 canários pontuados em 39 que levei, considerei que fui bem, apesar de não ter conseguido nenhum canário 90ptos.
Abraços

sábado, 30 de maio de 2009

quarta-feira, 27 de maio de 2009

ESTÃO CHEGANDO OS CONCURSOS

Caros Amigos Criadores,
o mês de Junho está se aproximando e com ele os concursos regionais, a anciedade é muita pois são nestes torneios que descobrimos se nossos canários estão dentro do padrão da raça.
Assim que os resultados forem aparecendo vou postando algumas fotos.
Abraços.

sexta-feira, 17 de abril de 2009

ONDE DEVO CRIAR MINHAS AVES ?



Tenho recebido ultimamente muitos telefonemas e mensagens pela internet perguntando a respeito da saúde dos canários.
Biólogos, não podem e não o fazem, indicar algum medicamento ou tratamento para qualquer enfermidade, somente um profissional formado em Medicina Veterinária está habilitado a esta prática. Mas ao mesmo tempo como a função do biólogo é estudar o meio ambiente e os seres vivos que ali vivem, tenho notado que a grande maioria dos problemas nos canários são causados pelo sistema respiratório.
Ao conversar com criadores ou pessoas que estão iniciando uma criação, sempre pergunto onde elas mantêm suas aves. Uma parcela muito grande dos criadores não se preocupa ou não dá a devida atenção a este item, que para mim é primordial: - onde devo criar minhas aves ?
Este fator deveria ser o primeiro a ser estudado e analisado antes de se iniciar a criação, desde a pessoa que quer ter apenas um canário para apreciar seu canto até um criador com centenas de casais.
As pessoas se apaixonam pelos canários, mas se esquecem que eles são seres muito frágeis e delicados e que necessitam de cuidados básicos para viverem felizes e saudáveis.
Então antes de escolher seu canário, de porte, cor ou canto, siga algumas dicas que com certeza irão agradar muito suas aves:
- Para quem quer ter apenas um amigo cantador, compre gaiola de ferro, pois são mais fácies de se higienizar, não o deixe em corredores com muito vento ou sol excessivo,
perto de janelas onde receba muita poluição dos carros, troque regularmente o jornal do fundo da gaiola, forneça água fresca e comida para canários, verduras e frutas e durante a noite sempre cubra a gaiola contra as possíveis claridades, pois seu amigo precisa renovar suas energias para no outro dia alegrar novamente sua casa com seu canto.
- Agora se você pretende ter dezenas, centenas de casais terá que realmente montar uma estrutura digna para seus canários. Não poderá ocupar banheiros, quartinhos apertados, pois não podemos esquecer que o número de aves irá dobrar na época de acasalamento. Esse projeto deverá ser executado de acordo com o número de pássaros que desejamos ter e criar.
O criadouro terá que ter obrigatoriamente uma ótima entrada de luz natural, por dois motivos, além de o sol ser muito importante para o desenvolvimento e saúde das aves, temos que pensar na natureza e economizar energia elétrica.
Outro fator importante é a circulação de ar dentro do criadouro, a falta ou o excesso de ar pode causar doenças respiratórias nas aves.
Então amigos criadores, antes de pensar qual ave irei criar, pense primeiro aonde irei criá-las para que vivam felizes e saudáveis.


FRANCISCO PERUZZO
BIÓLOGO
SÓCIO Nº 104

CENTRO PAULISTA DE CRIADORES DE CANÁRIOS FRISADOS

sexta-feira, 10 de abril de 2009



Gloster

Histórico
A origem da raça é bem conhecida, ao contrário da maioria das outras.
Em 1925 dois exemplares foram exibidos no National Show no Cristal Palace e, afortunadamente, eles foram reconhecidos como uma nova raça pelo juiz A. W. Smith, já falecido.
A mais de sessenta anos, ao fazer sua aparição, no tempo em que a raça Crested estava em seu apogeu, o GLOSTER foi objeto de muita polêmica. Muitos criadores daquele tempo relutaram em aceitá-los, considerando-os como maus exemplares do então rei da criação de canários, o Crested .
Com incrível persistência, a Sra. Rogerson, e os Srs.A. W. Smith e John McLay, um notável criador escocês, tornaram-se os pioneiros na criação desse novo e pequeno canário de forma.
Enquanto a Sra. Rogerson obteve seus pássaros partindo do cruzamento de Rollers com topete com Border de tamanho bem reduzido do plantel de J.H. Madagan, o Sr. MacLay cruzou seus Crested, que eram usados como amas para os grandes, com os menores Borders que conseguiu obter com os criadores escoceses.
É preciso não esquecer que o Border de 1925 era um pássaro pequeno e de plumagem excelente e desde pequeno "wee gem" e do então considerado o rei da canaricultura, o Crested, se originou o pequeno pássaro que posteriormente passou a chamar-se GLOSTER, corruptela de Gloucester, nome escolhido pelo juiz que primeiro os aceitou, A. W. Smith.
Como toda raça que possui o topete, há exemplares com e sem topete, ou seja, os CORONA e os CONSORT, que apresentam características idênticas, executando-se o topete.
O GLOSTER IDEAL
É um pássaro pequeno, tendendo ao diminutivo. O tamanho ideal é em torno dos 12 cm.
Topete - O topete é rico em penas, redondo, simétrico e perfeitamente aderente á nuca, cobrindo parte do bico e dos olhos. O ponto central de onde se irradiam as penas é um pequeno ponto de no máximo 1 mm de diâmetro.
O CONSORT possui a cabeça redonda sob todos os ângulos, penas longas e sobrancelhas bem evidentes, como devem ser todos os parceiros de pássaros de topete.
Bico - O bico é curto e cônico, olhos mais próximos do bico que da nuca, que com uma curva reversa quase imperceptível faz a concordância com o dorso.
Pescoço - O pescoço é curto e grosso, ligando a cabeça harmoniosamente ao dorso, peito e ombros.
Forma - A forma é semelhante á do Norwich, guardadas as devidas proporções. O dorso é ligeiramente arredondado, ombros largos, peitos amplos com afunilamento pronunciado em direção á cauda.
Plumagem - A plumagem deve ser compacta, sem frisos ou penas soltas e são aceitas todas as cores, á exceção do fundo vermelho.
Postura - A postura se caracteriza por uma inclinação do corpo de aproximadamente 45º com a horizontal.
Cauda - A cauda é curta, compacta, praticamente alinhada com a parte baixa do dorso.
Asas - As asas, também curtas, assentam-se perfeitamente sobre o dorso sem cruzar as pontas que se apóiam sobre a rabadilha.
Pernas - As pernas, que apresentam as coxas dissimuladas na plumagem, são implantadas bem atrás do corpo, as canelas curtas com os dedos e unhas perfeitos.
É um pássaro vivo, de movimentação constante, que deve estar perfeitamente limpo e saudável para que esteja completo o pássaro ideal.
Este texto foi extraido do manual de julgamento, para obter mais informações adquirir o mesmo junto a FOB ou OBJO.